Slide item 1

KOVA M FESTIVAL 2013

Hip Hop, Regae, Funana.

Kizomba, Kuduro

Facebook: Kova M Festival
Slide item 2

BATUQUE FINKA PÉ

Facebook: Batuque Finka pé
Slide item 3

Sodales commodo et nulla donec sed erat dolor!

Etiam diam magna; porta sed gravida vel, molestie non lacus. Donec laoreet est vitae enim hendrerit egestas.

Sócio-Cultural

Sócio-Cultural

 

MUDA! Encontro Internacional de Teatro do Oprimido | 21. – 26. Março 2013

 

Entre o 21 e o 26 de Março de 2013, no âmbito do projeto TOgether, realizar-se-á o quinto encontro entre experientes organizações de Teatro do Oprimido da Europa – Kuringa, Alemanha, Pula Forum Festival - Croácia, Active Inquiry - Escócia, Pallapupas - Espanha, Pas a Passo - França, Krila – Itália e GTO LX - Portugal.

 

Este projeto, financiado pelo Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida - Grundtvig, tem como objetivo qualificar os participantes no método de Teatro do Oprimido através da experimentação prática ao longo de dois anos de forma a fortalecer o trabalho de base através da formação e do intercâmbio entre grupos comunitários.

 

A implementação e experimentação ao nível comunitário constituem uma parte importante deste processo de qualificação. Neste sentido o encontro recebe espetáculos de Teatro Fórum de grupos comunitários da Alemanha – Imagens de Mulher do Grupo Madalenas Berlim, da Escócia – Divididos caímos? do grupo Active Inquiry e de Portugal – Sonhos de Papel! DRK Grupo de Teatro Fórum da Cova da Moura.

 

Este encontro pretende partilhar com o público a experiência de como o trabalho artístico tem um impacto e um papel fundamental na construção de uma sociedade mais justa para todos e todas e onde o cidadão e a cidadã são conscientes do seu papel na elaboração de estratégias coletivas de mudança. Com este objetivo, os parceiros trabalharão ao longo do encontro no espetáculo de Teatro Fórum “Sonhos de Papel!” para servir como experiência de Teatro Legislativo. No Teatro Legislativo o público realiza uma atividade política buscando no coletivo propostas para transformar uma lei, com base na necessidade expressa e debatida nas cenas de Teatro Fórum.

 

No dia 22.3. organizaremos uma visita guiada ao bairro da Cova da Moura e um jantar comunitário. Se quer participar inscreva-se no nosso site: www.gtolx.org

 

São parceiros deste encontro: Goethe-Institut e Associação Cultural Moinho da Juventude. O evento conta com o apoio do ACIDI I.P. 


 

Programa:

 

22.3. | 18h Visita Guiada ao bairro da Cova da Moura.

 

20h Abertura – Salão Multiusos da Associação Cultural Moinho da Juventude - Cova da Moura

 

20h30 “Sonhos de Papel!” DRK - Grupo de Teatro Fórum da Cova da Moura, PT | Salão Multiusos da Associação Cultural Moinho da Juventude

 

22h Jantar - "Roteiros das Ilhas" no âmbito do projeto SABURA  

 

23.3 |   19h “Divididos caímos?” Active Inquiry”, UK | Goethe-Institut

 

 20h30 “Imagens de Mulher” KURINGA - Madalenas Berlim  | Goethe-Institut

 

24.3 |   18h Conversa com o público - “Diálogos estéticos” |

 

 Bárbara Santos e Till Baumann  | Goethe-Institut

 

 

 

25.3 |   19h “Sonhos de Papel” – DRK | Teatro Legislativo | Goethe-Institut

 

 22h Fecho do encontro

 

Poema "Na Cova da Moura"

En filas ordenadas regresamos
Y cada
noche, cada noche,
Mientras hacemos
el camino

Octávio Paz, La Centena, 1972

 

Na Cova da Moura

 

 

há crianças há mães há pais há avós

há crioulo nas vozes que ecoam como cânticos

há sorrisos que esperam peregrinos

há mãos que labutam na espessura do dia da noite

há dedos gretados pela árdua matéria

 

 

Na Cova da Moura

 

 

há claros gritos sufocados à nascença

há desejo da terra firme lá longe

na distância que o mar separa e o tempo une

no concreto chão onde se mora

há horas em que só o silêncio chora

 

Na Cova da Moura

 

há crianças que pedem afeto aos peregrinos

abraçam as mãos de quem as olha

enlaçam seus rostos em nossos rostos

sorriem sempre sorriem e ensinam

a olhar um outro mundo

 

 

Na Cova da Moura

 

 

há festas barcos dançando em cinturas pelas ruas

rituais da origem reiterados pelo destino

há batuques que ecoam aquela África

há danças em que só o corpo fala

há mulheres que perdem filhos no asfalto

há mulheres que vestem seus trajes e sobem ao palco

e com o som que percutem nas tchabetas (batuques)

sua alma retempera e renova sua ação

 

 

Na Cova da Moura

 

 

há cânticos que dizem vidas duras

há ecos de crioulo pelas ruas

há sorrisos mãos e dignidade

 

 

Gisela Ramos Rosa

04-12-04

Batuku
Batuku

Batuku Batuku Nha fla-m, Nha Dunda, kus'e batuku k'e? Nha nxina mininu kusa K'e ka SABE. Nha fidju, batuku N ka se kusa. Nu nase nu Atxa-l. Nu ta mais nu ta dexa-l. Seu E Lonji sima, Fundu sima mar, rixu sima rotxa. E usu-l tera, sabi nsa genti. Mosias nd terreru tornu finkadu, txabeta rapikadu, Korpu ali N ta bai. N ka bai. Aima ki txoma-m. Nteradu Dúzia na Labada, mortadjadu sen na sistensia pedra-l, bendedu mil na Sul-a-Baxu,...

» Ler mais
Finka Pé no Festival Lisboa Mistura
Finka Pé no Festival Lisboa Mistura

Finka Pé no Festival Lisboa Mistura  

» Ler mais
Curso de Batuque
Curso de Batuque

Curso de Batuque QUANDO: Todos os 2ºs e 4ºs Domingos do mês às 17h. LOCAL: Associação Cultural Moinho da Juventude   CURSO DE BATUQUE com as mulheres de FINKA PÉ, portadoras duma expressão do século XVII Greet Wielemans, terapeuta Flamenga, analisou os efeitos terapêuticos do BATUQUE: §As mulheres, percutindo a tchabeta, fazem uma percussão alternadamente. Este princípio é utilizado no EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessin) a alternância tem efeitos terapêuticos. §Nos seus cantos, as mulheres falam dos seus problemas/alegrias,...

» Ler mais
FINKA-PÉ: Um Grupo de BATUQUE CABOVERDIANO
FINKA-PÉ: Um Grupo de BATUQUE CABOVERDIANO

FINKA-PÉ: Um Grupo de BATUQUE CABOVERDIANO O Grupo de Batuque Finka-Pé surgiu em 1988 no Bairro Alto da Cova da Moura, concelho da Amadora, no âmbito das actividades desenvolvidas pela Associação Moinho da Juventude. Inteiramente formado por mulheres cabo-verdianas que habitam no bairro, este grupo dedicou-se à prática do batuque por razões de vária ordem: divulgação da cultura cabo-verdiana, auto-valorização das suas componentes e manutenção das tradições do seu país. Antes da fundação do Grupo, e numa linha de fidelidade...

» Ler mais