• Batuque Finka Pé
COP_JOOMLA

Putos Qui A Ta Cria

"Putos qui a ta cria, que traduzido do crioulo de Cabo Verde significa as crianças que estão a crescer, resulta da participação numa formação (Long Term Training Course Diversity and Cohesion) destinada a jovens trabalhadores sociais promovida pelo Concelho da Europa, uma organização Internacional vocacionada para a defesa dos direitos humanos, que decorreu de Março de 04 a Abril de 05.

Remontando-nos à história do RAP e aos pressupostos interventivos que estiveram na sua origem, Putos qui a ta cria pretende (re)inventar uma "nova" forma de fazer música. Centrando-se na figura do Mestre-de-cerimónias (MC), como um educador social capaz de sensibilizar os jovens para a coesão social e o respeito pela diversidade cultural, consiste na abordagem através do ritmo e da poesia de um conjunto de valores que assumem uma importância acrescida na construção de uma Europa mais justa e solidária.

Foi partindo desta lógica que, através da Associação Juvenil Laços de Rua e com a colaboração de diversas instituições a actuar em zonas periféricas de Lisboa, nomeadamente Marianas, Alaparia, Fontainhas, Cova da Moura, Damaia, Madorna e Queluz Belas, se constituiu o grupo que integra este projecto, composto inicialmente por 15 jovens dos quais 10 são MC´s.

Deste grupo de 15 jovens, surgiu uma compilação. Pensado desde início numa lógica de Educação pelos Pares este projecto, dinamizado através da Associação Juvenil Laços de Rua, procurou promover a participação activa de um grupo de jovens MC's que se propôs abordar nas suas músicas um conjunto de problemáticas que afectam os seus pares, nomeadamente a sensibilização contra o consumo de drogas; prevenção de doenças sexualmente transmissíveis tais como HIV/SIDA; luta contra o Racismo e outras formas de descriminação; denunciar a acção dos MEDIA na manipulação do conhecimento; oposição ao uso da violência que gera mais violência; sensibilizar para as questões de género entre outras.

Através desta iniciativa, pretende-se consciencializar jovens MC's acerca da importância do seu contributo no processo de socialização das camadas mais jovens, e simultaneamente estimular o diálogo e a cooperação entre jovens de diferentes bairros sociais da área de Lisboa, em oposição à violência e às relações de hostilidade que, em grande parte dos casos, os caracterizam."

In http://www.putosquiatacria.pt.vu/

Notícias

Cultura